30 de jun de 2009

Natalina



*Foto lembrança de uma tarde natalina em Sampa, meus papis tortos vinho arte e pizza na garoa. Saudades .)

27 de jun de 2009

Happy Day !!???!!


Daqui do alto, daqui do céu, onde reina a paz das nuvens e a segurança dos deuses, onde sonho com o intenso encanto das estrelas.
Daqui onde tudo parece perfeito, equilibrado, confortável, puro e só meu, de onde observo com pavor e admiração os fortes lá embaixo, que escolhem a aventura do sofrer, a aventura do não ser assim tão só, tão dono do próprio céu.

Que vibração estranha é essa a qual rotulam de amor?
Que sentimento é esse, que a tudo dá um sentido e um sabor, essa coisa que tudo suporta que tudo move, renova o corpo e transcende a alma?
Eles que andam sobre aquela forte gravidade, que contrai músculos e tendões, que dilata pupilas, e que impõe limites a tudo que se ouse pensar.
Inveja deles, os fortes que enfrentam as desventuras do chão “firme”, inveja dos que enfrentam a pressão do simples ser ser humano em busca daquele diamante infrequente, tão necessário, é incrível o quanto precioso o simples pode vir a se tornar.

 

A um passo da queda livre, dessa nuvem tão segura que desenhei sorrindo. E dessa galáxia surreal que reservei pra fugir dos limites terrenos e das dores do mundo.

Percebo que daqui do alto, daqui do céu e da paz das nuvens, também tenho medo, tenho medo de não precisar nunca mais correr, e da adrenalina morrer.
Tenho medo de perder o sentido, o pra quê de preservar o belo e a pureza.
Medo que esse sonho de perfeição e beleza infinita, torne-se um túmulo celeste perdido sem flores e velas. 
Um sonho não compartilhado é um sonho esquecido
Dessa nuvem que ninguém mais sobe, dessa perfeição que ninguém mais toca.
Quero descer...

25 de jun de 2009

De uma letra simples melodiada quase uma coleção de haikais q fiz saiu um texto vrááá reescrevi e coloquei aqui mas desisti. Rs a chuva acho me deixa sentimental demais. No puede perdão as vítimas minhas desde já.

24 de jun de 2009

Antropologicamente: Largada no são joão

Meu coração tá batendo,
Como quem diz "não tem jeito!"
Zabumba bumba esquisito
Batendo dentro do peito.
Teu coração ta batendo
Como quem diz "não tem jeito!"
O coração dos aflitos pipoca dentro do peito

Coração bobo, coração-bola, coração-balão, coração-São-João
A gente se ilude, dizendo: "já não há mais coração..."

A gente se ilude, dizendo: "já não há mais coração..."
(Zé Ramalho)

23 de jun de 2009


http://poivre.deviantart.com/gallery/

Fábio Rodrigues (Snoopy mi ijo) pela fotógrafa francesa fofa e talentosa Claire Jean Ai q orgulho

19 de jun de 2009

Procuro nas coisas vagas ciência
eu movo dezenas de músculos para sorrir
nos poros a contrair nas pétalas do jasmim
com a brisa que vem roçar na outra margem do mar
Procuro na paisagem cadência
Os átomos coreografam a grama do chão
na pele braile pra ler na superfície de mim
milímetros de prazer
quilômetros de paixão... E a alma aproveita pra ser a matéria e viver

(Marisa M)

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.

Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.

Fernando Pessoa

17 de jun de 2009

Quando encontrar alguém e esse alguém

fizer seu coração parar de funcionar por alguns

segundos

preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida

Limpo, surtado e no confessionário...

Depois de esvaziar todas as gavetas e limpar tantas lembranças, quis jogar tudo fora. Começar de novo, num clichê necessário. Numa vontade não mais inconsciente de estar nova para um novo sentido... Sentindo

Em um surto de abuso lá de fora, percebi o quanto nos parecemos. Esse parecer me inquietou com um medo de não mais poder dividir meus medos e beijos...
Assumo a culpa de amar quando acordo, e morrer quando durmo. Sabendo que em algum lugar ela sorri e brinca. Bem longe da minha lembrança, ama outro alguém em silêncio, assumo a culpa de não querer o simples de mãos beijadas. Assumo a culpa de procurar sempre as almas mais elevadas, afundadas em confusão e inconstância eterna.
.

15 de jun de 2009

A Animação "Persépoles"



Realização: Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud França, 2007

Imagine todas as confusões mentais, o caos dos questionamentos dolorosos do crescer, imaginem ser uma menina criativa, curiosa, talentosa, revolucionária, num ambiente hostil e repressor. 15 anos da vida, em uma animação de edição, trilha e “sacadas” sensitivas e maravilhosas de Marjane Satrapi. Desenhista, escritora e progressista Iraniana, que viveu de perto quando criança, a queda e revolução do XÁ, e a instalação de um regime fundamentalista, e de quebra a guerra Iraquiana. 
Saindo jovem de Teerã, para estudar em Viena (onde passa por um choque cultural frequentando de clubes punk, a hippies) sem o véu obrigatório em seu país e virando uma mulher independente, porém solitária.
Sua busca por identidade em meio à tirania, preconceito, machismo e cegueira religiosa é linda, forte, instigante e minimalista. 

Pausei várias vezes o “desenho”pra fumar um cigarro e pensar em revoluções internas. Mais uma estranha no ninho, inadaptável, independente do país que esteja.
A linguagem é irônica e causou-me sorrisos e lacrimejos, visto que é fácil identificar-se e apaixonar-se por “alguém” que sonha em ser profetisa quando crescer, e que em sua lei escrita aos 8 anos é proibido para todos o sofrer, leis que brincava de escrever,época que comprava (ilegalmente) discos do Beegees, Elvis, Abba e Iron Maiden,tudo isso entre discussões diretas com “Deus”,hilário.
O surrealismo e os traços são de tirar o fôlego. Se você assim como eu compartilhar de olhos apocalípticos e sutis, é claro.

Ser íntegro e verdadeiro: Moral da história que é baseada e produzida pela própria Marjane Satrapi (sou fã inclusive dos quadrinhos)

"Como evitar que um povo seja confundido com os seus líderes? Como combater um poder que usa uma versão de deus como arma para subverter e submeter a sua população? Como se pode amar profundamente um país e admitir, ao mesmo tempo, a impossibilidade viver nele?" (Marjane)

.
Saudadinhas de escrever sobre o que vejo*

10 de jun de 2009

Nós les Poupées Russes .)

A grande esconde a pequena
Vários tamanhos
sorridente ou triste
para todos os gostos
para todas as fases
para todas as vibes
Com delicadeza e paciência
Vai se deixando mostrar
não fique tão curioso
pra no final chegar
o gostoso é no meio
não tá lá nem tá cá

IN fiel

Cada
vida
um
encantoCada
esquina
um
encontro
Cada
beijo
uma
nota
Quando
se gostaeprovocacada
encanto cada
vida
nessa
melodia
assumida
Ai
quantaS
vidas
vivemos
A cada
C-A-D-A
que
temos

7 de jun de 2009

Somos amor da cabeça aos pés... Pra longe de nós os de
visão curta que não amam!


http://www.fotolog.com.br/fabiodecara/38110423 (boua)

4 de jun de 2009





Even stronger, the prison of love gives me chills