19 de jan de 2011

Ciclos

E é sempre assim, um eterno ciclo, para não acostumarmos a existir por existir.
Que o amor não seja banal, que os sentidos não sejam brinquedos, que o tempo não seja perdido. 

Que a atenção não seja voltada para uma coisa nula.
Que o sonho de ontem ainda tenha seu fluido propagado por algum tempo em nossos corpos, o tempo suficiente para nos tatuar, como uma bela lembrança.


11 de jan de 2011

E seremos todos um, depois de quebrarmos nossas geleiras.


Won't you open for me
The door to your ice world
To your white desert

I just want to stare
Out over these snowfields
Until we are one again

We belong to the frozen world

When the ice begins to thaw
Becomes the sea
Oh, you will see
How beautiful we can be

Everything is calm
At the end of the planet
In our white desert

The sun kissed the ice
It glistens for me
And we are one again

We belong to the frozen world

When the ice begins to thaw
Becomes the sea
Oh, you will see
How beautiful we can be

9 de jan de 2011

A única certeza palpável é que pra toda certeza há uma reticências


Não se cuida de longe, não se ama por telepatia, não se sorri no vazio... o calor dos amores ainda se faz necessário.