8 de fev de 2011

Tanto céu pra um só pássaro, desperdício de beleza e espaço



Um sonho não dividido é um sonho nulo, sabe? E apenas aprender sofisticadas poses, não esconderá a fragilidade do simples que és de fato.Raiz aquática não brota em solo escuro, amor meu. 

Confundir liberdade com a solidão, no medo de perder-se nos olhos alheios, é não lembrar que todo alheio, depois do primórdio contato é para sempre parte sua, mesmo que no teu raso.
Tua sobriedade mentirosa, mantém o anti nós dois e o anti nós mesmas. Para se ter juízo é preciso perdê-lo, lembra disso.Um devaneio, sem foco, um caminho a esmo, esputo sem mira? Não importa, experimentemos, o Agora!



Nenhum comentário:

Postar um comentário